Bar do Mercado, um hábito salutar.

Uma joia em plena W3.

Estar no Bar do Mercado é fazer parte do cenário de um filme. Uma decoração cinematográfica, cores e formas em movimento, riqueza dos detalhes em todas as direções. E o bar desfruta dos aromas e do ambiente do Mercado Municipal, o que o torna único.
Comer e beber no singular Bar do Mercado, acompanhado pelos acordes do chorinho, um privilégio. A conversa flui, no ambiente alegre e descontraído.

Além do cardápio surpreendente, dois itens já ganharam a simpatia da clientela: o pastel de bacalhau e o sanduíche de mortadela! Qualidade e variedade completam a cena, enquanto o chopp da Brahma, cremoso e gelado, passeia pelos três ambientes, na simpatia do atendimento.
Quando estamos no mezanino, dentro da Cervejaria do Bar do Mercado, temos a grande visão de todo o espaço.

O panorama que se descortina é realmente mágico e nos permite vislumbrar a grande sensibilidade de Jorge Ferreira: unir expressões culturais e arquitetônicas do passado e do presente, criando novas perspectivas para o futuro imediato. A importância de se preservar os valores históricos, em todas as áreas, estabelecendo generosa convivência com a modernidade.

A adega climatizada guarda os melhores vinhos. Poesia e prosa na sequencia de cenas que não tem fim. Por isso, Jorge Ferreira dizia: Fazimento, pra mim, é fazer com sentimento.
Bar do Mercado, na W3 - 509 Sul.

O legado de Jorge Ferreira

O legado de Jorge Ferreira, mineiro de Cruzília, o Jorjão – como era carinhosamente chamado pelos amigos –, é de valor inestimável.
Sociólogo, professor, poeta, empresário, sindicalista, empreendedor, apaixonado pela vida, pela família, pelos amigos e por Brasília, Jorge tinha rara intuição e talento para a criação de espaços que reunissem gastronomia simples, mas de qualidade, cultura, música, literatura, homens e mulheres do bem. A decoração sempre original, impecável, rigorosamente determinada por ele, em todos os detalhes.

Tudo isso foi realizado naquelas que são, hoje, as casas que mais representam a capital federal no que se refere a espaços de humanização e confraternização: Feitiço Mineiro, Gordeixo 306, Bar do Mercado, Bar Brasília, Bar do Ferreira no Pier 21 e em Águas Claras, Bar Brahma, Tratoria Peluso, Mercado Municipal e o Armazém do Ferreira, que divide espaço com o Café do Brasil e Bar do Brasil.
Uma obra realizada nos últimos 25 anos.

Jorge nos deixou em julho de 2013, ampliando o significado do perene e do eterno, na fugacidade da vida.